FAIL (the browser should render some flash content, not this).  
dd

 

div
Giovana

Implante de Silicone Mamário


A cirurgia de implante de silicone mamário evoluiu muito e, hoje, obtemos resultados mais naturais através de cicatrizes menores. A existência de um mamilo bem posicionado e um tamanho de mamas proporcional ao tamanho da paciente continua sendo fundamental para a beleza e simetria mamária. Havendo uma correta posição e volume dessas estruturas, obtemos uma melhor proporção de todo o contorno corporal, assim a existência de um pequeno culote ou um bumbum avantajado, por exemplo, passa a ter uma menor importância no contexto pois a proporção está mantida.
Em relação ao aumento mamário através do implante de silicone, aqueles exageros outrora estimulados, dão lugar a aumentos mais proporcionais que não ferem o conjunto do corpo feminino. Esse cuidado deve prevalecer principalmente naquelas mulheres que ainda não tiveram filhos, pois na gravidez a mama aumenta até quatro vezes o seu tamanho para depois diminuir ficando muitas vezes muitos menor do que era anteriormente. Por isso esperar ter o primeiro filho para depois aumentar as mamas também não é uma boa idéia, pois essa mama que já era pequena pode ficar ainda menor e caída após a gestação.
A cirurgia, com a colocação de uma prótese de silicone ou somente remodelando a mama, é realizada sob anestesia local mais sedação onde a paciente é liberada no mesmo dia e não necessita muitos cuidados pós-operatórios. Após um pequeno repouso, as atividades normais são retomadas com uma recuperação geralmente muito rápida e indolor.
A cirurgia de aumento mamário com silicone é um procedimento que traz muita satisfação tanto para o cirurgião quanto para o paciente, pois o resultado é imediato, visto logo após a cirurgia. Ele traz uma proporção melhor ao corpo dando uma sensação de melhora em todo o contorno corporal.

Dra. Giovana Haeser – CRM 21254

 

 

QUEM TEM POUCO QUER MAIS!


Quem tem pouco quer mais, quem tem o suficiente não está contente com a aparência deles. Estes são os dois principais motivos que levam as mulheres a procurar um cirurgião plástico e colocar uma prótese de silicone. A mamoplastia é a uma das cirurgias estética mais realizadas no Brasil, ficando logo atrás da lipoaspiração.

Anestesia local, peridural ou sedação são as formas pelas quais a operação pode ser realizada. O procedimento consiste em deslocar o tecido mamário do músculo peitoral. Cria-se um espaço abaixo ou acima do músculo, que é onde a prótese de silicone é inserida. Os tipos de implantes variam, mas o mais comum é a prótese de silicone texturizada.

Os avanços tecnológicos e aperfeiçoamento da técnica oferecem poucos riscos neste tipo de cirurgia. Os riscos de extravasamento do silicone do interior da prótese estão praticamente eliminados. Hoje em dia, o material utilizado é altamente coesivo. No entanto, isso não diminui a importância da realização de todos os exames pré-operatórios e da busca por um profissional experiente e habilitado. A forma, o tipo e o tamanho do implante de silicone são questões a serem discutidas com o cirurgião plástico. O procedimento dura de 1 a 2 horas, com internação de 24 horas, sendo que a maioria das pacientes saem até no mesmo dia. Em relação à dor, se o implante é colocado embaixo da mama e acima do músculo, a dor será mínima. Se a prótese for colocada embaixo do músculo peitoral, a dor é um pouco mais intensa, mas melhora com a ajuda de analgésicos.

Quanto ao pós-operatório, os médicos afirma que atividades rotineiras leves podem ser retomadas em sete dias, evitando movimentos bruscos com os braços..

Os locais em que ficam cicatrizes são, geralmente, sulco mamário, ao redor da aréola ou axila, variando de acordo com o método de incisão escolhido.

Uma das principais dúvidas de quem pretende se submeter a este tipo de cirurgia plástica é o tempo de duração da prótese. Atualmente as próteses, de uma maneira geral, não necessitam de substituição, a não ser em casos específicos, mais freqüentemente por necessidades estéticas e raramente por problemas com a prótese. "Por exemplo, depois de uma gestação, o corpo da mulher passa por uma série de transformações, a troca da prótese pode ser feita para devolver o equilíbrio à silhueta".

Administração do Site 

 
dd

Qual o tamanho da ideal da prótese?

Esta na moda, cada vez mais as mulheres sonham em colocar prótese de silicone nos seios, porém quando chega à hora surge àquela dúvida básica.... “qual o melhor tamanho” .
A escolha do tamanho correto faz parte do sucesso da cirurgia, por isso paciência menina, tenha bem definido o que pretende dos novos seios, também é muito importante escutar quem entende do assunto, leve em conta as considerações do seu médico que ao indicar o tamanho estará levando a estrutura do seu corpo para que suas formas fiquem simétricas, pois eles são os que mais entendem do assunto.


Veja Abaixo seguem algumas dicas de tamanho de próteses silicone e indicação:

daniele
De 125 A 250 ml:
luma
De  250 a 400 ml:
Indicação:
Para as pacientes magras e baixas com pouco seio, ou pacientes de média estatura com volume intermediário.
div

Indicação:
Pacientes que desejam tamanho maior de mamas.
div

melao
De 400 ml a 700 ml:
silicone
Acima de 700 ml:

Indicação:
Pacientes altas, com biótipo grande e pouca mama.


div

Indicação:
Como o resultado ficará artificial, é indicado somente para quem de fato quer aparecer por causa dos seios.
div

ff

div

Cresce o número de brasileiras que moldam bumbum com silicone

Mulheres brancas, com média de 28 anos e bumbum achatado. Esse é o grupo responsável pelo aumento na procura por cirurgias de implantes de silicone nos glúteos, segundo avaliação do presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Sebastião Edy Guerra. "O segredo da brasileira é o bumbum avantajado. Quem nasceu sem, agora aprendeu que pode ter também", diz ele.

O crescimento na demanda fez a entidade pedir um levantamento sobre o assunto para um instituto de pesquisas. Os resultados devem ficar prontos no próximo mês.

Guerra estima que cerca de 6 mil cirurgias do tipo tenham sido realizadas no último ano. "A minha observação é que de 2008 para cá houve um aumento de mais ou menos 20% no número de cirurgias. Ainda é muito menos que, por exemplo, as operações de mama, mas é um número que está crescendo bastante", afirma.

A Silimed, principal fabricante de próteses de silicone do país, também vê crescimento. Em 2007, a empresa vendeu 2.502 próteses para glúteos (cada cirurgia usa duas próteses). Em 2008, foram 3011. E em 2009,

Ontem, foi lançado no Brasil o "Big Butt Book", da editora Taschen, que promete trazer os mais belos bumbuns dos últimos 110 anos. Apesar da fama, as brasileiras estão pouco representadas na obra. O único exemplar nacional na obra é o de Andressa Soares, a Mulher Melancia.

A funcionária pública paulista Irene Andrade, de 41 anos, foi uma das mulheres que passaram pelo procedimento. No final de junho, ela colocou uma prótese redonda de 360 ml. "Meu bumbum sempre foi pequeno e com o tempo e a lei da gravidade, caiu. Cheguei a usar calcinha com enchimento de espuma. Quando soube da possibilidade de colocar silicone fiquei muito entusiasmada e fui atrás", conta.

"O resultado foi maravilhoso. Foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Qualquer calça cai bem, estou muito satisfeita. Ficou um bumbum redondinho, durinho e empinado", afirma ela.

A atriz Ísis de Oliveira, de 50 anos, também encarou a "gluteoplastia", como a cirurgia de implante é chamada entre os médicos. Sua primeira visita ao consultório foi para corrigir a prótese que já tinha nos seios, impactada pela cirurgia de coração pela qual a atriz passou. Para fazer a correção, o cirurgião sugeriu a retirada de gordura das nádegas para preencher o espaço que havia sobrado entre silicone e mama, conta Ísis. E, para compensar a perda, ela optou por uma pequena prótese de silicone nas nádegas.

O resultado final foi aprovado. "Ficou ótimo. Sou a mesma pessoa, estava dirigindo dois dias depois. Não é nenhum bicho de sete cabeças", conta.

De acordo com Guerra, a grande maioria das pessoas que fazem a cirurgia são mulheres. "Homem não chega nem a 1%. A maioria [delas] tem entre 22 e 35 anos -- a média é 28", conta.

A última pesquisa encomendada pela Sociedade – sobre cirurgias plásticas em geral, de 2009 – revela que o campeão na preferência das brasileiras ainda é o implante de silicone nas mamas. O bumbum vem em um distante nono lugar, com apenas 1% do total de cirurgias estéticas realizadas.

Tanto Ísis quanto Irene contam que só fizeram a cirurgia após muita conversa com o cirurgião e pesquisa. A funcionária pública conta que chegou até a assistir um vídeo de uma cirurgia para saber exatamente o que iria acontecer.

A conversa é importante porque, segundo o presidente da SBCP, nem toda mulher pode operar. "É uma cirurgia simples, mas que não é para todas. Muitas vezes para uma mulher que só quer dar uma pequena ressaltada vale mais a pena fazer só uma lipoaspiração na região", orienta.

Não é para todas, nem todos os médicos fazem. Segundo Sebastião Guerra, apenas 10% dos cirurgiões plásticos topam fazer a cirurgia. Dentre os que preferem recusar o procedimento está o chefe do departamento de cirurgia plástica da Escola Paulista de Medicina, Luiz Eduardo Habla.

"O risco de complicações é maior [do que em cirurgias plásticas comuns]. Quando explicamos tudo para a paciente, ela acaba desistindo. (...) Eu não opero", conta. O risco principal, segundo ele, é o de infecção. "A incisão é feita na curva do bumbum, perto do cóccix, que é uma região bastante exposta a bactérias", explica Habla.

Irene encarou uma pequena complicação após sua cirurgia. Após cinco dias, teve que voltar ao centro cirúrgico para colocar um dreno no local da incisão, para limpar o líquido que é produzido pelo organismo na cicatrização. Segundo Habla, o procedimento é comum. "Dreno, quase todas vão ter que colocar", explica.

Além disso, o médico da Unifesp conta que a dor na região é "considerável". Nas "gluteoplastias", a prótese, mais alongada e resistente que a de mama, é colocada entre dois músculos. Algumas mulheres podem ficar com dor por até três meses. "É uma dor muscular", conta Irene. "É como quando você faz academia e fica dolorido", explica.

Ísis de Oliveira conta que não sofreu tanto. "Depois de uma cirurgia do coração, essa dor não é nada", afirma. Operada na quinta-feira 24 de junho, ela conta que já estava dirigindo no sábado, 26. "Tem gente que acha que precisa ficar dois meses de bumbum pra cima. Não é nada disso", diz ela.

De fato não é, dizem os médicos. "A recomendação é que se fique de três a quatro dias em repouso absoluto", afirma Haddad. "A paciente já senta no dia seguinte. A prótese não encosta na parte debaixo da cadeira, ela fica mais apoiada no encosto. Pedimos que se evite sentar com as costas apoiadas no encosto por uma semana, depois é vida normal", conta Guerra.

Vida normal, mas longe de agulhas. "Depois da prótese, injeção só no braço", alerta Haddad.


Fonte: Correio do Estado - 24/07/2010

 
dd

div
Giovana

Gravidez x Cirurgia Plástica


A geração de um filho é um dos momentos mais maravilhosos na vida de uma mulher e esse momento não pode ser estragado com preocupações com as deformidades principalmente a nível de abdome que possam vir a acontecer.

Após as gestações, permanece algum grau de deformidade principalmente no abdome, que pode ser desde um pequeno excesso de gordura em algumas regiões até um grande excesso de pele em todo o abdome. Porém para todos os casos temos uma solução e na maioria dos casos de excelentes resultados.

Naquelas pacientes que apresentam apenas gordura localizada, a retirada dessa gordura pode ser realizada até com anestesia local quando em pequenas quantidades apresentando uma rápida recuperação.Podemos também através de uma anestesia regional realizar retiradas de até 7% do peso corporal corrigindo as ondulações que são comuns em abdomes que já  gestaram .Em casos onde além do excesso de gordura existe excesso de pele podemos, hoje, através de uma nova Técnica chamada Lipoabdominoplastia retirar tanto o excesso de pele quanto o de gordura,  além de reaproximar os músculos  abdominais afastados pela gravidez. Essa é uma técnica que dá um excelente resultado, pois além de retirar o excesso de gordura ainda retira o excesso de pele na região do abdome e cintura. A paciente passa a ter uma cintura bem definida, até mesmo naquelas que nunca  conseguiram manter um peso para obter  uma cintura mais fina. Essa cirurgia é recomendada a pacientes que já tenham sua prole definida e não desejam mais engravidar, raros são os casos em que realizamos essa cirurgia em mulheres que não gestaram.

Assim, graças a novas técnicas da cirurgia plástica as mulheres podem, e devem, aproveitar esse momento maravilhoso de suas vidas, com a tranqüilidade de poder voltar a exibir uma bela silhueta após a gestação.


Dra. Giovana Haeser – CRM 21254

 
dd

logo_fina_estampa

Dr.Giovana

 
s